CICLISMO

Volta ao Alentejo em bicicleta com meta volante em Odemira

A 'Alentejana' também passa por aqui

2016-03-11
Os fãs de ciclismo vão poder assistir à luta pela camisola verde da “Alentejana”
junto aos bombeiros

A quinta e penúltima etapa da Volta ao Alentejo, que liga Aljustrel a Grândola, passa pelo concelho de Odemira, no dia 19 de Março. A vila vai ser prendada em pleno Dia do Pai com um sprint numa meta volante instalada junto aos Bombeiros Voluntários de Odemira. Será uma oportunidade única para ver a luta pela camisola verde que corresponde à classificação por pontos.

 

O MERCÚRIO foi espreitar o percurso. A etapa tem partida prevista em Aljustrel pelas 11h30 e passa por Castro Verde e Ourique antes de entrar no concelho de Odemira, pelas 13h00. Prevê-se a passagem do pelotão pela Bemposta pouco depois das 13h30 e poucos minutos depois a disputa da meta volante instalada junto ao quartel dos bombeiros, ao quilómetro 83,8 da prova, numa altura em que a etapa estará sensivelmente a meio, a 100,9 quilómetros da meta.

 

Os ciclistas seguem depois pela estrada de S. Luís, local onde passarão perto das 14h. A aldeia é assinalada como sítio do início do reabastecimento, vital para que os concorrentes ganhem energia para o resto das pedaladas.

 

Depois de passarem o Cercal do Alentejo e Sines, terá início a subida para Santiago do Cacém, onde os melhores trepadores disputarão um prémio de montanha de quarta categoria. A etapa tem meta final em Grândola, onde, pelas 16h, os ciclistas chegarão cumprindo quase 185 quilómetros.

 

As horas indicadas são estimativas da organização da prova tendo em conta uma velocidade média na ordem dos 40 quilómetros por hora, e podem variar se os ciclistas impuserem um ritmo mais lento ou acelerado às pedaladas em cada fase da etapa.

 

Participam na 34ª Volta ao Alentejo, entre os dias 16 e 20 de Março, 22 equipas em representação de oito países de latitudes tão diferentes como os Estados Unidos e a Suécia. São 10 equipas estrangeiras e 12 portuguesas entre Elite e Sub 23 num pelotão que terá 175 corredores.

 

A tradição estará bem presente nesta prova, conhecida como a “Alentejana”, uma vez que o chocalho, património da Humanidade, será um dos prémios a atribuir ao vencedor de cada etapa. Esta é já a 34.ª edição da prova que tem uma particularidade: é a única do calendário da União Ciclista Internacional que teve sempre um vencedor diferente, facto que se vai repetir este ano - nenhum dos vencedores anteriores irá competir.

 

por Ricardo Vilhena

não usa AO