EDITORIAL

Agora Escolha ou Você Decide?

Há que querer e saber escolher o final deste episódio


Por:Pedro Pinto Leite

2016-06-17
Horticultura e turismo vão ter que estar unidos relativamente aos perigos da prospeção e eventual exploração de hidrocarbonetos

O “Agora Escolha” era um programa interativo de televisão, nos anos 80, em que os telespetadores escolhiam entre dois episódios de séries televisivas distintas.

 

O “Você Decide” era um programa interativo de televisão, nos anos 90, em que os telespetadores escolhiam o final que pretendiam para um determinado episódio de uma série televisiva.

 

Muito se tem falado acerca dos efeitos da agricultura intensiva no Perímetro de Rega do Mira (PRM) e Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PN), do possível impacto negativo que possa ter a nível ambiental e na eventual incompatibilidade com o tipo de turismo que se ‘pretende’ para essa área do concelho.

 

Há que considerar o incansável e frutífero trabalho que algumas instituições, quer ligadas à horticultura quer ao turismo, têm realizado. Esse trabalho tem atraído mais investimento para a horticultura e mais turistas ajudando o combate à sazonalidade. Como resultado proporcionou-se mais viabilidade e sustentabilidade económica quer de um quer de outro setor. Mais, para o crescimento económico do todo concelho de Odemira.

 

É inegável que nalguns lugares se sente o impacto visual de estufas/túneis, consequência essencialmente da crescente produção de pequenos frutos vermelhos. É também inegável que esta é uma atividade sujeita a uma considerável quantidade de mão-de-obra por hectare.

 

Sendo basicamente mão-de-obra estrangeira, independentemente das razões porque é que assim é, acresce ainda o impacto social e o choque cultural que isso possa provocar ou provoca efetivamente.

 

Para além da produção dos pequenos frutos vermelhos, onde também trabalham muitos portugueses, há ainda outro tipo de produções hortícolas cuja mão-de-obra estrangeira é residual.

 

A questão da existência das duas atividades, horticultura e turismo, muitas vezes é colocada dentro do formato do “Agora Escolha”. Ou uma ou outra atividade porque as duas não podem coexistir.

 

Ora um território que viva exclusivamente de uma atividade económica está mais vulnerável do que um território mais diverso. Veja-se o caso extremo de Detroit, considerada o berço da indústria automóvel nos Estados Unidos da América, que em 2013 declarou falência.

 

É, por isso, bom que haja alguma liberdade de decisão por parte dos empresários, dentro de determinadas regras, da atividade que pretendam exercer nas suas propriedades mais ao estilo do “Você Decide”.

 

Preservar e conservar são duas palavras frequentemente utilizadas como sinónimos mas que têm significados diferentes no seu conceito mais primário. Preservar está mais dentro da lógica do “Agora Escolha”, manter o natural proibindo tudo o resto. Conservar está mais dentro da lógica do “Você Decide”, usar os recursos de forma consciente mantendo o equilíbrio ambiental, não esgotando a terra.

 

O solo é um recurso que não deve ser desperdiçado e não parece, sobretudo tendo em conta as formas de cultivo evoluídas já praticadas, que PRM e PN sejam hoje completamente incompatíveis. Antes pelo contrário.

 

Repare-se no caso da vinha e do vinho. Uma paisagem altamente  humanizada e de cultura intensiva mas de grande potencial turístico.

 

A diferença entre a vinha e o vinho e os pequenos frutos vermelhos é que estes utilizam estufas/túneis de plástico na sua produção.

 

Mas também é certo que dentro do PRM se produz mais de uma centena de produtos diferentes e cerca de 90% deles a céu aberto e, apesar do crescimento previsto, não se vislumbra que esta relação seja muito diferente no futuro, isto é, cerca de 10% a 15% de culturas em estufa/túneis contra mais ou menos 85% a 90% de culturas a céu aberto. Tal como a vinha e o vinho, este fenómeno pode ser uma oportunidade para outros tipos de turismo numa ótica do combate à sazonalidade. Basta usar a imaginação.

 

O que urge é que os responsáveis pela horticultura e pelo turismo mudem de canal e não se concentrem tanto no programa “Agora Escolha”, ou nós ou vocês, que deixem de estar de costas viradas e que se alcance um equilíbrio desejável.

 

Os dois setores vão ter que estar unidos num futuro muito próximo relativamente aos perigos da prospeção e eventual exploração de hidrocarbonetos (petróleo e gás natural)  junto à costa do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina e também em terra, no concelho de Aljezur.

 

Que todos sintonizemos o “Você Decide” e que escolhamos o ‘final feliz’ que todos gostaríamos que aquele programa tivesse.