PALAVRA DE PALHAÇO

Bendita Loucura

Vive intensamente


Por:Enano Torres

2016-06-17
Tens muito por descobrir, por conhecer e só uma vida para consegui-lo

Tenho um amigo que acorda às segundas-feiras de manhã e não tem que estar às nove no trabalho, nem sequer tem que sair de casa duas horas antes para enfrentar as bichas do trânsito; ele não usa fato e gravata nem quando o convidam para um casamento e ainda por cima não tem telemóvel!

 

Penso que ele não seja desta época, e as pessoas chamam-lhe Louco; ele tem a capacidade de estar horas a olhar para o mar, a cumprimentar as ovelhas e as vacas alentejanas com toda a naturalidade e por vezes até canta com elas ao som dos chocalhos.

 

Quando era novo já comentava comigo que o que ele realmente desejava era viver nas montanhas em vez de trabalhar numa fábrica. Não queria ser advogado, nem médico, nem sequer futebolista. Ele era um daqueles tipos que estão fora do rebanho.

 

Quando acabou o liceu ofereceram-lhe um emprego fixo e ele recusou; preferiu agarrar na mala e percorrer o mundo para ir conhecer diferentes culturas, seguir explorando e aprendendo a disciplina da Vida. Para ele, viajar não tinha que ser com dinheiro pois, lá onde ia, procurava algum tipo de trabalho de curta duração para poder permanecer no lugar; quando se cansava tinha a liberdade pessoal de ir embora sem nenhum tipo de reparo nem de consequência.

 

Quando regressou, conseguia falar várias línguas, decidiu viver na Montanha e escreveu um livro das experiências vividas na viagem intitulado “ Viajar para Crescer” para ser partilhado pelas amizades e não só.

 

Chamavam-lhe Louco quando viam que escrevia a lápis e papel no meio do prado, por desfrutar o sol do dia em companhia do seu cão, por correr descalço sentindo o vento na sua cara, imitando o som dos pássaros à sua volta, imaginando as figuras ilimitadas que as nuvens ofereciam recriando grandes histórias.

 

Apaixonou-se por uma mulher e tiveram uma filha, desfrutando com elas cada dia como se fosse o último, sem querer deixar de ver crescer a sua filha nem um segundo da sua vida.

 

Ele preferia um piquenique ao sol a um restaurante exclusivo, acampar numa tenda perto do mar do que visitar Resorts turísticos, tentar perseguir o valor dos seus sonhos evitando viver em esquemas de vidas normais, ser coerente com suas prioridades, não fugir dos seus medos enfrentando-os. Com tudo isto continuava a ser visto como um Louco, um excluído da sociedade, sendo capaz de afastar-se das pessoas tóxicas que amargam a existência, que nos manipulam e que acabam explorando as pessoas que mais queremos.

 

É um louco daqueles que tem inquietudes, que tem ilusão pelo que faz, que se sente vivo, que desfruta cada dia da vida e que quando deixa de desfrutar questiona-se e toma decisões.

 

Como bom louco, por vezes dúvida se o louco é ele ou se são os outros; eu francamente não sei se a loucura está em viver ou em renunciar à vida. Quem é o louco? O que é ser normal?

 

Talvez seja complicado entender para uma pessoa sisuda, mas com cada loucura que se comete sente-se uma intensa emoção, uma ilusão renovadora, uma energia vital, sente-se vivo!

 

Já pensaste em mudar o que é normal pelo que é bom para ti? E de mudares o que se espera de ti pelo que resulta atraente? E de mudares o que necessitas pelo que desejas? E se mudares a rotina pela vida?

 

Qual foi tua última loucura? Recomendo fazer uma loucura por dia ou mais que uma, sem dúvida, embora não valha qualquer loucura; que seja razoável, planificada, intencionada, uma loucura sã que permita desfrutar das pequenas coisas sem fazer dano a ninguém.

 

Uma loucura onde as prioridades venham do coração, com decisões que nasçam em nós mesmos, atendendo às necessidades sendo a primeira o facto de nos sentirmos vivos.

 

A loucura deste meu amigo protege-o da sisudez, da rotina, da inércia de sobreviver sem pensar, sem sentir, sem amar.

 

Talvez esta apologia da loucura, seja realmente uma apologia ao senso comum, uma apologia da vida.

 

Não hesites. Vive intensamente. Faz uma loucura cada dia.

 

Desfruta. Incorpora o espírito aventureiro na tua vida. Descobre, surpreende-te, sente, experimenta. Tens muito por descobrir, por conhecer e só uma vida para consegui-lo.

 

E se for preciso, vai ter comigo, que sou rapazolas para te apresentar a este meu amigo, se calhar aquele que tu gostarias de ser e, para já, não és...

 

Nunca é tarde quando a Loucura é boa!