E SE ALGUÉM SOUBESSE A RESPOSTA?

Pensamos demais?

estamos prontos para sermos felizes, sofrer e desfrutar


Por:Maria Monteiro

Celeb Jones
2016-10-31
Os pais amam, dão atenção e estimulam e conversam com os seus filhos, proporcionando-lhes experiências estimulantes adequadas à sua idade, reconhecendo e apoiando tanto as suas conquistas como os fracassos

O Luís gosta de fazer bolos e outras coisas doces. Gosta de fazê-los do princípio ao fim. Fica entusiasmado e cheio de energia. Entra na cozinha e concentra-se nas várias tarefas. Põe o avental, faz algumas perguntas acerca da receita e da balança mais em jeito de troca de impressões. Verifica se tem todos os ingredientes e começa a medi-los. Avança na tarefa sem hesitações e gosta de manter as mãos limpas. Procura na receita a temperatura do forno, roda o botão e pronto! É só esperar!

 

Que idade tem o Luís? 4, 6, 12 ou 33 anos? Tem as duas pernas? É loiro ou moreno? É hiperativo ou inibido? Vai à escola, universidade ou está desempregado? É um adolescente com tatuagens? É seu filho? Seu marido? É bombeiro ou médico?

 

Os bebés e as crianças têm um grande potencial de desenvolvimento dada a natureza neuroplástica do sistema nervoso, ou seja, o sistema nervoso tem uma grande capacidade de adaptação e mudança das suas estruturas e funções de acordo com as experiências vividas. Sim, é um sistema complexo que se adapta e especializa várias vezes, ao longo da vida, mesmo na vida adulta.

 

Os pais amam, dão atenção, estimulam e conversam com os seus filhos, proporcionando-lhes experiências estimulantes adequadas à sua idade, reconhecendo e apoiando tanto as suas conquistas como os fracassos sem julgar nem ofender. Os pais conhecem as necessidades dos seus filhos e validam os seus sentimentos mantendo-os assim motivados.

 

O sistema educativo tem as estruturas e os meios para ao longo da escolaridade fornecer experiências de aprendizagem adequadas e diversificadas que estimulem, em todos os alunos, o desenvolvimento das várias áreas do conhecimento. Adquirimos conhecimentos e não só, mas também, valores, competências interpessoais e outras coisas mais.

 

Os educadores e professores, mestres e doutores investem diariamente no seu trabalho para que as aprendizagens ao longo da vida se transformem nas peças de um puzzle que ganha um novo significado e utilidade quando terminado. Há ainda outros colaboradores que fazem a união entre a escola e os pais, entre os alunos e outros serviços, entre os alunos e os pais, entre o sistema de saúde e a escola, todos eles envolvidos neste desafio da educação.

 

O Luís não arrumou a cozinha! Deixou as bilhas por lavar, as bancadas por limpar, os ingredientes por arrumar.

 

E agora que idade terá o Luís? Ainda poderia ser o seu marido? O seu filho? Ou o seu professor ou médico?

 

Aquilo que existe, a realidade que conhecemos, aquilo que outros e nós construímos e organizámos tem aspetos de uma beleza e complexidade incríveis e fascinante.

 

O Luís é feliz. Tem dias em que está contente e em paz consigo e com o mundo e outros dias sente-se triste ou zangado, e sofre. É como todos nós! Um ser humano.

 

Os estudos nas mais diversas áreas do conhecimento confirmam a importância das experiências nos primeiros anos de vida numa relação em que nos sintamos amados, reconhecidos e pertença de alguém, experiencias de vinculação fortes e seguras. Estas experiências estão solidamente ligadas à futura capacidade de regulação emocional e a uma vida saudável na idade adulta.

 

E assim estamos prontos para sermos felizes, sofrer e desfrutar!