PALAVRA DE PALHAÇO

A receita da Felicidade

"Façam o favor de ser felizes"


Por:Enano Torres

2016-11-30
Só com os outros poderemos ser felizes

O dinheiro não compra a felicidade. Ainda mais se é pouco.

 

Foi uma das frases que um senhor me disse há tempos com rotunda afirmação.

 

O dinheiro não compra a felicidade, é certo, mas ajuda a alugar parte dela.

 

Quero dizer, com dinheiro não podes comprar a felicidade mas podes comprar uma boa casa, um bom veículo, umas boas refeições cada dia, uma cama cómoda, uma boa garrafa de vinho tinto, uma viagem a um lugar sonhado ou o presente desejado da sua parceira/o.

 

É um facto que essas coisas não fazem a felicidade mas também não podemos dizer que a elimine.

 

Os senhores da religião não gostam que as pessoas sejam felizes. Pois isso vai contra o negócio deles. Preferem o sofrimento. Quanto mais dor, mais dinheiro.

 

Certa vez um predicador que andava pelas ruas pregando “a palavra de Deus” encontrou um famoso humorista (Groucho Marx) e diz-lhe: - Obrigado pela diversão que tem oferecido ao Mundo. Ao que Groucho lhe responde - “É para equilibrar toda a diversão que vocês têm tirado”.

 

Somos mais felizes se pensamos que a felicidade não é tanto algo que se vive senão algo que se lembra; pelo que deveríamos viver para produzir boas lembranças; no fim das contas é tudo o que fica.

 

Quem não tem uma data de situações na memória que quando se lembra delas, estas fazem-lhe tirar um sorriso jeitoso dos lábios, e se for uma boa lembrança partilhada é uma catarse grupal de riso; lembro-me, no funeral da minha avó, eu tinha apenas 10 anos, o meu tio Manolo começou a contar as boas lembranças que tinha dela e toda a família começou a rir até à extenuação, junto ao corpo presente da Gogo; aí comecei a perceber que mesmo em situações de tristeza podemos ter momentos de felicidade derivadas da lembrança.

 

Com certeza que algum de vocês já apanhou algum livro sobre a felicidade, chame-se ele “O caminho da felicidade”, “A Fórmula da Felicidade” ou “Felicidade Autêntica” para ver se através dele ficava feliz, como que por “arte da página”, e normalmente sucede o contrário! Pelo que esqueçam esses relatos que vos prometem a felicidade eterna.

 

Francamente, sinto que a melhor receita que conheço para atingir a Felicidade é oferecendo-a (se é singular ainda melhor); pois se fazes felizes duas pessoas uma delas és tu! Mais, sendo eu Palhaço, confesso que é um privilégio oferecer risos e momentos felizes à plateia para a qual atuo.

 

Os ricos pensam que os pobres são felizes pelo facto de serem pobres, e os pobres pensam que os ricos são felizes pelo facto de ser ricos. Ambos estão errados. A felicidade está a meio caminho entre o não tanto e o não tão pouco. Digamos o ponto médio; embora não exista um caminho para a felicidade, apenas a felicidade é o caminho.

 

Brinquemos a ser felizes, se calhar isso é a felicidade: um jogo!

 

Mas atenção não é o solitário; é um jogo de ver juntos, de brincar juntos, de beber juntos, de rir juntos e de chorar juntos.

 

Se nesses tu e eu fazemos um nós, seremos mais felizes. Pode ser uma questão de palavras, mas isto da felicidade pode ser um jogo onde só tu decides o tipo de jogo que é e com quem o jogas. E, como bem diria Raul Solnado “façam o favor de ser Felizes!”.

 

Jogamos? Partida, largada, fugida!!!