CICLISMO

Fugitivos americanos apanhados em Alcácer do Sal

Axeon volta a sorrir em Odemira

2017-02-27
Carlos Barbero (Movistar Team) tornou-se, este domingo, em Évora, o primeiro corredor a inscrever, por duas vezes, o nome na lista de vencedores da Volta ao Alentejo em bicicleta.

Quando antecipámos aqui na redacção do MERCÚRIO que a penúltima etapa da Volta ao Alentejo, com início em Odemira, seria propícia a uma fuga, estávamos longe de imaginar que a mesma pudesse a ser tão longa.

 

Depois da partida de Odemira, no último sábado de Fevereiro, talvez inspirados pelo Oceano Atlântico e empurrados pela brisa do Sudoeste Alentejano, dois homens lançaram-se numa fuga que duraria até às portas de Alcácer. Os aventureiros foram Robert Britton e Evan Huffman, da formação norte-americana Rally Cycling, aos quais se juntaram Artem Nych (Gazprom-Rusvelo) e Adam Jamieson (An Post Chain Reaction) na aproximação à meta volante de Sines.

 

A faltarem pouco mais de 50 quilómetros para a chegada, a colombiana Manzana Postobón e a equipa de Carlos Barbero (camisola amarela), a Movistar Team intensificaram o ritmo no pelotão e já se adivinhava o destino dos fugitivos. O princípio do fim começou quando o russo Artem Nych e o canadiano Adam Jamieson foram “engolidos” pelo pelotão deixando os elementos da Rally Cycling a sós na frente. A escassos dois quilómetros, o pelotão sem contemplações ultrapassou-os e depois de atravessado o rio Sado assistiu-se a um sprint inclinado até à meta.

 

O sprinter de 21 anos Logan Owen (Axeon Hagens Berman) “fintou” no último instante o camisola amarela e venceu a quarta e penúltima etapa da 35ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola em Alcácer do Sal. Carlos Barbero (Movistar Team) não tirou as medidas certas à ligeira subida que antecedeu a meta e acabou batido pelo norte-americano após discussão vigorosa na subida para o Estádio Municipal. O Camisola Branca RTP, Jasper de Laat (Metec-TKH) foi terceiro e na classificação geral ascendeu ao último lugar do pódio, atrás de Rinaldo Nocentini (Sporting/Tavira) que manteve a segunda posição.

 

A Axeon voltou assim a sorrir à conta de Odemira, depois de, no ano passado, ter aqui ganho uma meta volante.

 

 

Barbero desfe ‘teimosia’ da Alentejana

 

Carlos Barbero (Movistar Team) tornou-se, este domingo, em Évora, o primeiro corredor a vencer duas edições da Volta ao Alentejo. O espanhol de 25 anos quebrou uma “teimosia” que durou 34 edições fazendo da “Alentejana” um caso desportivo único no mundo do ciclismo em provas por etapas.

 

O derradeiro dia de competição da “Alentejana” começou em Ferreira do Alentejo, a 168,5 quilómetros da meta, uma festa na Praça do Giraldo, coração da cidade de Évora, que já recebe a visita da “Alentejana” consecutivamente desde 2014.

 

Sem ganhar uma única vez, qualquer das etapas, mas “especialista” em aproveitar todas as oportunidades para bonificar, Barbero mal terminou a prova fez questão de aguardar em plena recta da meta para saudar os companheiros de equipa e festejar a vitória em conjunto. “Sem os meus colegas de estrada nada seria impossível, tenho de agradecer o trabalho de toda a semana porque foram espectaculares”, desabafou o corredor de Burgos. “Queria quebrar esta famosa tradição. É algo muito importante para mim.”

 

Já líder e portador da camisola amarela desde a segunda etapa, Barbero chegou a Évora no quinto lugar, mas a vantagem para “bisar” na “Alentejana” era suficiente e o segundo na geral, o italiano do Sporting/Tavira, Rinaldo Nocentini, já não assustava. Nas contas finais ficou a 16 segundos enquanto o holandês Jasper de Laat (Metec-TKH) fechou o pódio com mais 25 segundos e a camisola branca de melhor jovem em prova. E assim se fez história na Volta ao Alentejo.

 

por Ricardo Vilhena (não usa AO)