PALAVRA DE PALHAÇO

Lágrimas de Ouro

chorar faz bem


Por:Enano Torres

imagem: Ben White
2017-05-08
Não é muito bem visto chorar em público, por isso tentamos evitá-lo.

Na passada Páscoa tivemos a estreia do espetáculo “RASTILHO”, dirigido pela MULHER (assim mesmo, com letras grandes) e coreógrafa Madalena Victorino, onde durante o processo de criação e também nos espetáculos me deixei levar pelas emoções e, consequentemente, chorei, e algumas das vezes em público. Reconheço que sou de choro fácil. E ainda bem, pois chorar faz bem, melhora o estado emocional, liberta.

 

Não é muito bem visto chorar em público, por isso tentamos evitá-lo.

 

As lágrimas têm sido consideradas um símbolo de debilidade pela maioria das pessoas e é por isso que ainda hoje nos surpreendemos quando vemos um homem a chorar. Porquê?

 

A primeira coisa que fazemos quando chegamos a este mundo é chorar! Choramos desde que somos crianças, quando temos fome ou frio, quando caímos... Mas quando crescemos e somos pessoas maduras e responsáveis, a sociedade ensina-nos (mal) que somos fracos quando choramos, ainda mais se choramos diante de alguém!

 

Desde pequenas que as crianças são educadas a não chorar. E se o fizerem que seja às escondidas. Ainda se lembram quando choravam debaixo dos lençóis da cama, baixinho, para que ninguém os ouvisse? Ou de ouvirem os comentários absurdos “que ninguém te veja chorando, os homens não choram, os homens são fortes, sempre”?

 

Quando vemos uma criança ou algum amigo chorar dizemos logo “vá lá, não chores”, reprimindo um sentimento que só faz bem a cada ser, pois temos necessidade de chorar!!!

 

Grande erro, esconder o choro; temos que educar aos nossos filhos, sejam meninos ou meninas, para que, desde pequenos, sejam capazes de chorar sem sentir vergonha, de entender a importância que é mostrar os seus sentimentos e de os desabafar, chorando.

 

Fala-se muito do riso e da sua multitude de benefícios que nos provoca. Mas as lágrimas também! Chorar como expressão emocional ajuda-nos a comunicar connosco mesmos e a liberar tensões.

 

As emoções são processos bioquímicos que se produzem no cérebro; o chorar associa-se essencialmente à tristeza, à angústia, ao medo, à ansiedade. Também choramos de alegria mas a maioria das vezes que vertemos lágrimas é devido a uma causa negativa.

 

O riso e o choro são emoções complementares. O importante é saber-se o motivo que cada um tem, a nível interno ou externo, para se sentir essa emoção.

 

Há pessoas que choram mais que outras. E há também as que se habituaram a chorar em solidão; este facto é devido à educação recebida; poderíamos partilhar mais o nosso choro mas não o fazemos porque não nos sabemos expressar, porque temos medo. Não expressar as nossas emoções é perigoso pois as emoções são como a água, se a deixarmos correr, sai, mas se a obstruirmos acaba por rebentar. Temos de abrir as comportas para a deixar fluir.

 

Aguentar o choro está relacionado com ser forte, mas isso não é saudável a nível emocional. Isso são sinais demasiados defensivos que no fundo mostram uma grande fragilidade.

 

Termos maior inteligência emocional é um trunfo que nos permite conhecer e regular melhor as nossas emoções.

 

As aparências, neste caso, não valem de nada pois podemos colocar um sorriso de palhaço na cara e ter um aspeto profundamente triste.

 

Já agora posso confirmar que quando choramos produz-se um aumento de endorfinas que provocam que nosso estado melhore, daí que, normalmente depois de chorar, fiquemos com uma sensação de alívio, leveza, uma vez libertada a pressão que sentíamos no interior. Assim recomendo vivamente que chorem pois com certeza vão-se sentir melhor.

 

Caso contrário, terei de organizar concentrações de Choros em Odemira para que experimentem esta agradável sensação!