JOAQUIM & LIBERDADE

NO RECREIO

Humor no Mira

2017-07-17
Os Santos, Aos Saltos e À Solta

OS SANTOS

- Liberdade? Estás a ouvir isto?

- O quê, Joaquim?

- Escuta!

- Mas não ouço nada, Joaquim?

- Pois, é isso… não os ouves nem os vês!

- Mas quem?

- Os nossos políticos, liberdade!

- Calhando foram de férias…

- Achas? Agora? E vão perder a Aurea e a Ritinha?

- À festa virão liberdade, são boas oportunidades de recordar ao povo.

- Recordar ao povo?

- Sim. Recordar ao povo quem lhes “deu” a festa sem correr riscos de ouvir criticas por causa do som…

- Por favor, Não digas “deu”, Joaquim!

- Então, mulher?

- Tenho medo que alguém acredite que eles nos dão alguma coisa!

 

 

AOS SALTOS

- Então não é que andaram no concelho a por lombas invisíveis e sem aviso, Liberdade?

- E fazem muito bem, Joaquim, que a malta abusa na velocidade dentro das localidades.

- Isso é verdade, Liberdade, mas se não estão pintadas passam despercebidas. Depois andamos ali com as viaturas aos saltos e a baterem no chão.

- Pois. Andas aos saltos porque andas depressa nas ruas arranjadas dentro das localidades e andas devagarinho também aos saltos nas estradas municipais que estão uma miséria. E quem paga os estragos são sempre os mesmos!

 

 

À SOLTA

– Ó Joaquim, sabes aquela história do Zé do Telhado?

- Aquele português do Marão que, já no século dezanove, roubava aos ricos para dar aos pobres, tipo Robin dos Bosques?

- Esse mesmo!

- E o que é que tem, Liberdade?

- Ele há aqui em Odemira coisas que me fazem lembrá-lo. Só que por cá os bandoleiros fazem-no ao contrário.

 

-  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -