E SE ALGUÉM SOUBESSE A RESPOSTA?

Cenas…


Por:Maria Monteiro

Fotografia: Cassidy Kelley
2017-07-17
Todos temos cenas, é só assim! Estamos vivos e somos vulneráveis. As situações preocupantes são aquelas que são propositadas para envergonhar, ridicularizar ou magoar, a si ou aos outros, física ou emocionalmente

Cenas boas e cenas más!

 

Todos temos cenas!

 

Eu tenho! E tu também!

 

São frustrações, medos, aflições, desejos.

 

São alegrias, conquistas, realizações, inspirações.

 

As nossas e as dos outros!

 

Acontecem porque temos um percurso, uma história, pertencemos a uma família, a um grupo de amigos, a uma turma da escola, a um grupo desportivo, a um conjunto de funcionários, a uma sociedade.

 

É a nossa maneira de nos vermos a nós próprios, aos outros e ao mundo que afecta como agimos e como nos sentimos em relação ao que nos acontece. Quando não agimos como gostaríamos de agir é porque muitas vezes existem pensamentos ou crenças irracionais que nos bloqueiam. (Link)

 

O primeiro passo será identificar as situações em que tivemos sentimentos e comportamentos que considerámos inapropriados ou inúteis. (link)

 

A vergonha de como nos comportámos…

 

Os julgamentos e rótulos que fazemos dos outros e que fazem de nós…

 

A frustração de mais uma vez estarmos a castigar ou a gritar com o nosso filho, marido, mãe…

 

Os dramas com os pelos, os cabelos, o corpo…

 

As roupas de marca e os gadgets da moda que não temos e queremos, não queremos ou nem pudemos dar ao nosso filho…

 

A impotência e preocupação sentida quando a hora combinada de o filho voltar para casa que não é cumprida…

 

A preocupação provocada pelas dúvidas sobre os programas e cenas online que consomem diariamente…

 

Os consumos exagerados de comida, bebida e outras cenas “online”, “inline” “outline”…

 

O isolamento e o medo de não ser aceite pelos outros…

 

A solidão, escondida e disfarçada, de um lado… e a vontade intimidante de dar um abraço apertado, do outro lado…

 

As desilusões nas amizades, a pressão das redes sociais, a importância da imagem…

 

Os pedidos de desculpa adiados ou o esclarecimento de mal entendidos…

 

As bujardas inconvenientes e impróprias que nos saem da boca e provocam mal-estar…

 

A frustração de mais uma tentativa de dieta falhada…

 

Todos temos cenas, é só assim! Estamos vivos e somos vulneráveis. As situações preocupantes são aquelas que são propositadas para envergonhar, ridicularizar ou magoar, a si ou aos outros, física ou emocionalmente. E por vezes voltamos a fazê-lo, mais uma e outra vez. Neste tipo de situações há fragilidades, há um desequilíbrio e é importante pedir apoio profissional e clarificar o que se está a passar e decidir o que fazer.

 

Podemos a qualquer altura, permitir a nós próprios modificar os pensamentos, atitudes que nos provocam dificuldades e que nos fazem sentir mal e assim modificar a nossa forma de agir.

 

Os nossos pensamentos e atitudes estão ao nosso alcance. Temos acesso a eles. Certo? Eles são controlados por cada um de nós e por essa razão podem ser alterados. Não é um processo automático e rápido! Depois de ter identificado as situações que quer mudar sentimentos, atitudes e comportamentos analise a crença base que o levou a pensar ou a comportar-se dessa forma. Responda às questões: Qual a forma como gostaria de responder a essa situação de uma próxima vez? Que dificuldades poderei ter? Como me poderei sentir? É possível por em prática? Qual o pior cenário? Que soluções? Se precisar de apoio com quem posso contar? (Link)

 

por Maria Monteiro