FESTIVAIS

Música dos cinco continentes para ouvir em Sines

Festival Músicas do Mundo começa dia 21 de Julho

2017-07-20
Músicos de 36 países vão animar o Verão em Sines e Porto Covo com 56 concertos

No largo, no auditório, no castelo. Três formas distintas de apreciar 56 concertos de artistas oriundos de 36 países e cinco continentes. Eis um pequenino resumo da enorme diversidade cultural que desfilará na edição 19 do FMM Sines – Festival Músicas do Mundo. De 21 a 29 de Julho, o concelho de Sines, na Costa Alentejana, é anfitrião desta festa da música que conta, diz a organização, com o maior alinhamento de concertos de sempre.

 

Os primeiros sons e vozes ouvir-se-ão no Largo Marquês de Pombal, em Porto Covo, de 21 a 23 de Julho, sexta a domingo, o festival estará sedeado no palco INATEL, localizado no Largo Marquês de Pombal, em Porto Covo, com uma programação integralmente gratuita.

 

Nos dias 24 e 25 de Julho, segunda e terça-feira, o festival transita para a cidade de Sines, com concertos pagos no auditório do Centro de Artes e concertos gratuitos no Pátio das Artes, Largo Poeta Bocage e terreiro do Castelo.

 

Os dias de maior intensidade do festival, na cidade de Sines, ocorrem entre 26 e 29 de Julho, com concertos no palco histórico do Castelo (gratuitos à tarde e pagos à noite) e no palco junto à Praia Vasco da Gama (gratuitos). A iniciar cada um desses quatro dias, há música no Centro de Artes de Sines (concertos pagos).

 

Portugal estará presente com António Chainho, André Baptista, Cristina Branco (na imagem), Medeiros / Lucas, Sopa de Pedra, Simply Rockers Sound System e JAE Sessions. Os artistas portugueses estarão também representados em concertos partilhados com artistas de outras nacionalidades: Costa Neto / João Afonso (Moçambique / Portugal) Benjamim / Barnaby Keen (Portugal / Reino Unido), Coladera (Brasil / Portugal / Cabo Verde) e Cantos de Cego da Galiza e Portugal. A Orquestra Latinidade, sedeada em Lisboa, junta músicos de vários países de herança latina. Espanha, por seu lado, terá em Sines dois dos principais nomes da sua folk: a galega Mercedes Peón e o duo catalão Maria Arnal i Marcel Bagés.

 

Mas o festival vive essencialmente dos sons de outras paragens e contará com fãs de certos nichos das músicas do mundo, mas também com os que estão curiosos por conhecer alguns intérpretes cujos temas são desconhecidos nas rádios mais comerciais. A programação completa pode ser consultada em www.fmmsines.pt, mas a organização destaca a presença de alguns artistas por continente.

 

Assim, de África chegarão o marfinês Tiken Jah Fakoly, a maliana Oumou Sangaré, o camaronês Richard Bona (com o grupo Mandekan Cubano) e o encontro entre as cantautoras Fatoumata Diawara (Mali) e Hindi Zahra (Marrocos). Orlando Julius, lenda da música nigeriana, regressa ao festival com a orquestra brasileira Bixiga 70, num concerto que é um exclusivo europeu para o FMM Sines. A África do Sul estará representada pelos BCUC, banda do Soweto.

 

A África onde se fala o português também está representada com três dos mais conhecidos músicos de Cabo Verde - Mário Lúcio, Lura (na imagem) e Vasco Martins - e um grande cantautor angolano, Waldemar Bastos. O rapper Emicida encabeça uma delegação brasileira onde também participam os cantautores Makely Ka e Gustavito e o grupo Metá Metá.

 

Da América Latina vêm orquestras, tais como a chilena Chico Trujillo, a peruana Bareto e a colombiana La Mambanegra. A fusão das músicas latinas com a electrónica chega pelo equatoriano Mateo Kingman e pelos colombianos Bulldozer e Romperayo.

 

Ainda nas Américas, de registar a participação de Aurelio (Honduras),  ÌFÉ (Porto Rico) e de três músicos norte-americanos: o poeta nova-iorquino Saul Williams, a cantautora de raízes haitianas Leyla McCalla e o músico de reggae havaiano Mike Love (na imagem de topo).

 

por Ricardo Vilhena (não usa AO)