IGUALDADE DE GÉNERO

One Billion Rising em Odemira

Associação Tamera e Escola Básica de Colos juntos numa dança solidária

2018-03-28
No passado dia 8 de Março, One Billion Rising chegou ao Largo Brito Paes em Odemira, no âmbito da comemoração do Dia Internacional da Mulher.

Nem a chuva impediu as dezenas de jovens e adultos, pertencentes à Associação Tamera e à Escola Básica Aviador Brito Paes, que se juntaram numa dança solidária para comemorar esta data. Com o apoio do Município de Odemira, One Billion Rising dançaram contra as grandes desigualdades e injustiças contra as mulheres, apelando também à igualdadede género.

 

A Associação Tamera (Centro Internacional de Pesquisa para a Paz) – sediada em Relíquias – em protocolo com a Escola Básica Aviador Brito Paes, realizou ensaios do tema Break The Chain, a música alusiva à causa. Com esta acção eleva-se, de alguma forma, a consciência política alcançando a região, o território nacional e o globo inteiro.

 

A campanha internacional One Billion Rising conta com 6 anos de existência (lançada a 14 de Fevereiro de 2012) e desafia, essencialmente, as pessoas do mundo inteiro a manifestarem-se pela eliminação da violência contra as mulheres. Uma em cada três mulheres é violada ou agredida durante a sua vida.

 

A letra da canção inspira a um levantamento colectivo internacional de mulheres e homens em todas as partes do globo. Esta campanha apela, sobretudo, à libertação para uma boa parte dos 52% da população mundial que ainda não são consideradas como parceiras em pé de igualdade nem no trabalho, nem em casa – as mulheres. 

 

A causa mais nobre chama-se Solidariedade Contra a Exploração das Mulheres, que foi o tema escolhido para 2018, neste Dia Internacional da Mulher. Não é um dia para celebrar, mas antes para sinalizar a necessidade de chamar a atenção e juntar todas as forças e poderes, independentemente do género, para as ainda grandes desigualdades e injustiças cometidas contra as mulheres. Um dia que a maior parte dos que ali estão repetem pelo resto do ano, como é necessário que assim seja.

 

 

Testemunhos

 

Segundo Pedro Caria, actual director da Escola Básica 2,3 de Colos, o objectivo desta parceria com a associação é sobretudo “sensibilizar os jovens para os problemas das temáticas apresentadas”, para a violência da mulher e também para a igualdade de género, no que toca a direitos e deveres.

 

Algumas das alunas confessaram também ao MERCÚRIO que esta “é uma acção muito bonita, ver toda a gente dançar por esta causa. Como raparigas, sentimos muitas diferenças, por exemplo, no desporto. Somos vistas como fracas. Até se andarmos com muitos rapazes somos faladas e até mal vistas, mas isso ao contrário não acontece”, rematando “demos o nosso melhor nos ensaios e aqui, hoje”. 

 

Uma das participantes, como mulher e mãe defende o seguinte: “A iniciativa do One Billion Rising é muito bonita e está cheia de significado. Tive o privilégio de ensaiar com os alunos da Escola de Colos e foi fantástico ver a alegria dos jovens e ver que absorveram o espírito e a mensagem desta iniciativa, com grande entrega. A demonstração em Odemira foi o culminar de várias semanas de preparação, que resultou numa interacção positiva entre vários agentes do município: Tamera, Agrupamento Brito Paes e a Câmara Municipal de Odemira. Foi um sucesso! Que tenha sido a primeira de muitas actividades em conjunto!”

 

Janka Striffler, a coreógrafa que andou durante semanas a ensaiar os alunos da escola de Colos e na Tamera explica que, ao introduzir esta campanha na escola, foi incrível ver o modo de como cada um dos alunos a emocionaram.

 

Durante quatro semanas ensaiou 33 alunos da escola e da Tamera. Para além dos ensaios, houve também oportunidade de leccionar a língua inglesa enquanto estudavam a letra da música. Para além das explicações do vocabulário, Janka Striffler confessa ao MERCÚRIO que houve momentos de ouvir o outro, de conexão entre as gentes.

 

A melhor parte, refere Janka, enquanto mulher e professora, este foi um dos momentos mais felizes da sua vida. Ao inspirar os outros com o que mais gosta, faz com que fique agradecida por todo o apoio que recebeu e por todos os que conseguiram filtrar a mensagem, chamando à atenção do problema em causa e da consciência política.

 

Fátima Teixeira, co-organizadora da dança “One Billion Rising” e pertencente à Tamera decidiu deixar algumas palavras ao MERCÚRIO sobre o evento: “Foi um momento mágico em Odemira que juntou crianças, jovens, alunos professores, vereadoras e técnicos de câmara, mães, pais, estrangeiros e locais, magros e gordos, grandes e pequenos, assim ou assado, e isso é a grande virtude deste movimento a que ninguém fica indiferente, através de uma coisa simples que é dançar! Mas dançar por uma causa que é exactamente, o que a dança do movimento One Billion Rising propõe. Esbater diferenças pessoais, géneros, partidos políticos, credos, tantas gerações diferentes, todas e todos esquecem por uns momentos o que os divide e dançam por uma causa maior e mais nobre que as trincas diárias e os ódiozinhos de estimação quotidianos. 

 

Foi uma iniciativa muito bem sucedida que mostrou como a cooperação, a colaboração, o apoio mútuo e a solidariedade, resultam muito bem, ou não fossem estas as qualidades femininas que urge trazer cada vez mais à nossa vida e ao planeta.”

 

Dário Loução (não usa AO)