PRIMEIRO DE ABRIL

Era mentira: “castelo” de Odemira bem de “saúde” e Cante ao Baldão não é candidato

Partidas do 1.º de Abril

imagem: CIMAL
2018-04-02
As fissuras no “castelo” a existirem não são relevantes e não está previsto nenhum desmoronamento nem candidatura a património da UNESCO do Cante Baldão

O MERCÚRIO entrou mais ano na brincadeira do primeiro de abril com duas notícias descaradas: uma sobre a candidatura do cante ao baldão a Património Cultural Imaterial da Humanidade e outra sobre o iminência de desmoronamento do “castelo” de Odemira e eventualmente da Biblioteca Municipal.

 

Tudo não passou de uma partida de primeiro de abril. Que fiquem descansados os odemirenses.

 

Uma mentira com uma ponta de verdade tem outro sabor.

 

De facto sentiram-se alguns sismos no início deste ano, em Odemira, um de magnitude 3.7 da escala de Richter, mas nenhum que justificasse alarme.

 

Quanto ao Cante ao Baldão, nascido no concelho de Odemira no século XIX, apesar da sua reconhecida importância, caso Marcelo Rebelo de Sousa visite, num futuro próximo, São Martinho das Amoreiras para dar o seu apoio, não será pelos motivos anunciados ontem.

 

Ah. Também não vão haver três dias de tolerância de ponto.