CANOAGEM

Clube Náutico do Litoral Alentejano sem instalações de apoio

Na luta por mais uma conquista: Instalações

2018-04-24
Necessidade de uma infra-estrutura para os materiais da prática desportiva

O Clube Náutico do Litoral Alentejano foi despejado do terreno onde se encontravam as suas instalações, próximo do Moinho da Asneira e os cerca de 100 atletas da colectividade estão a viver uma situação insólita por falta de lugar onde colocar as embarcações e equipamentos

 

A maior indignação de quem conduz e faz parte deste clube é de este ser o único clube náutico em Portugal sem instalações. A colectividade, sediada em Vila Nova de Milfontes, leva a prática da canoagem a sério e com mérito, pois o clube já tem “pergaminhos nacionais, nas várias categorias da canoagem e inclusive representou Vila Nova de Milfontes, consequentemente também o concelho de Odemira e o Litoral Alentejano, além-fronteiras”, pode ler-se num comunicado online a que o MERCÚRIO teve acesso.

 

O clube tem apenas quatro anos de existência, porém, logo no primeiro ano conseguiu levar atletas ao pódio nacional e tem vindo a evoluir de forma consistente, com as suas participações de norte a sul do país.

 

Durante o dia 22 de Abril, o clube com a ajuda dos atletas e pais, retirou todo o material do terreno privado onde se encontrava, transportando-o para um terreno junto à praia da Franquia, em Vila Nova de Milfontes – uns por via marítima, outros por via terrestre.

 

De momento, aguarda-se uma resposta por parte do Município de Odemira. José Diogo Santos em declarações ao MECÚRIO, afirma que “existia um orçamento para um espaço perto do HS Milfontes Beach Hotel, no entanto, tinha um valor muito elevado e, segundo a câmara, não era esteticamente bonito”.

 

Enquanto pais, órgãos sociais e atletas do clube lutavam, em Vila Nova Milfontes, com a recolha do equipamento e por um futuro melhor para o clube, outros atletas lutaram para a conquista da Taça de Portugal de Velocidade, realizada em Montemor-O-Velho.

 

“Apesar de todo o material estar em mau estado devido à falta de condições, os resultados obtidos são sempre positivos. O clube náutico tem um bom desempenho nas provas”, assegura José Diogo Santos.

 

Em termos colectivos, o Clube Náutico do Litoral Alentejano foi o 11º classificado, somando 372 pontos.

 

Nos dias 21 e 22 de Abril, perto de 600 canoístas, oriundos de 46 clubes nacionais rumaram até Montemor-O-Velho para disputarem, entre si, a Taça de Portugal de Velocidade, com vista à selecção dos melhores atletas para as respectivas equipas nacionais de velocidade sendo que o programa de provas já se encontra adaptado ao novo programa Olímpico Tóquio 2020.

resultados CLUBE NÁUTICO DO LITORAL ALENTEJANO

 

 

JÚNIORES

Bruno Silvério - FINAL A 1000m - 1.º

Mateus Luís - FINAL A 200m - 4.º

Bruno Silvério - FINAL A 500m - 1.º

Mateus Luís - FINAL B 500m - 6.º

 

CADETES

Mário Mathiotte - FINAL A 200m - 9.º

Maria Santos - FINAL A 200m - 4.º

Micaela Silvestre - FINAL A 200m - 9.º

Maria Santos - FINAL A 500m - 9.º

Micaela Silvestre - FINAL B 500m - 2.º

 

 

por Dário Loução (não usa AO)