SUBSÍDIOS

O ‘Top Ten’ dos Subsídios Camarários

No ano de 2017

2018-04-24
Cinco entidades levam mais de 21% do total dos apoios do município e as dez entidades mais apoiadas juntamente com as treze freguesias do concelho levam mais de 63%

O MERCÚRIO foi analisar os dados sobre os valores atribuídos, disponíveis publicamente, para encontrar as entidades mais apoiadas pela Câmara Municipal de Odemira, no passado ano de 2017.

 

Consultados os editais nº 60/2017 e 15/2018, de Transferências Correntes e de Capital, publicados no site do município, selecionaram-se as dez entidades mais apoiadas (QUADRO 1) pelo município em 2017, separando-se as treze freguesias existentes que se agruparam num segundo quadro (QUADRO 2).

 

O valor total dos apoios concedidos a todas as entidades e pessoas perfaz um total de 4 921 631,92 Euros. Menos 3% dos apoios do ano de 2016.

 

A grande recuperação foi a da Cooperativa TAIPA que de pouco mais de 14 000 euros recebidos em 2016, regressou à tabela com 186 465 euros, ocupando agora o 3º lugar. A associação TIC TAC, criada em 2015, subiu ao topo da tabela com 343 568,46 (mais 54 mil euros que em 2016) euros, trocando de lugar com os Bombeiros Voluntários de Odemira, agora em segundo com 259 299,12 euros (quase menos 87 mil euros do que em 2016), tendo a Corporação dos Bombeiros Voluntários de Milfontes ter recebido 72 250,00 euros.

 

Para os clubes desportivos de Odemira, Vila Nova de Milfontes e Cautchú, na tabela dos ‘top ten’ a Câmara destinou a verba de 340 551,78 euros, tendo os restantes 28 clubes de todas as restantes modalidades (futebol, canoagem, surf, ciclismo, BTT, TT, mota, equestre, caça e pesca), uma verba total de pouco mais de 396 mil euros.

 

No setor social, apenas os Serviços Sociais dos Trabalhadores do Município de Odemira estão na tabela, no sexto lugar, com um total de 121 025,99 euros. As restantes entidades, como APCO e CERCIAGO, os lares, casas do povo, obras da Igreja e prisão, totalizaram apoios perto dos 220 mil euros. Registando-se uma quebra neste setor de cerca de mais de 160 mil euros.

 

Relativamente às Juntas de Freguesia S. Teotónio e Vila Nova de Milfontes mantêm os seus lugares no topo e com verbas acrescidas e a maior surpresa na tabela foi de Boavista dos Pinheiros que passou do 12º para o 4º lugar. As restantes freguesias viram os seus apoios reduzidos, relativamente a 2016

 

por Pedro Pinto Leite