CORRIDA

Prática de corrida descalça celebrada no Porto das Barcas

Domingo, 6 de maio às 10h30

2018-04-24
Sylvain Griot é o organizador deste evento em Portugal que pretende dar a conhecer a importância dos exercícios descalços

Pequenos eventos para divulgar a prática da corrida descalça irão ser apresentados, no mundo inteiro, por vários membros da Barefoot Runners Society. Em Vila Nova de Milfontes será no dia 6 de maio, às dez e meia, junto do Porto das Barcas.

 

Em declarações ao MERCÚRIO, Sylvain, diz que está profundamente convencido dos numerosos benefícios desta modalidade.

 

O objetivo destes eventos são comunicar a importância dos exercícios descalços para cada um iniciar uma tomada de consciência das suas sensações e da sua fragilidade, para corrigir e aperfeiçoar a sua técnica de corrida e no fim poder correr com menos lesões, menos perdas de energia, mais prazer e de maneira mais relaxada. Trata-se de melhorar a técnica de corrida de maneira geral, quer seja calçado ou descalço.

 

Sylvain viu na organização deste evento a oportunidade de se poder despedir de Vila Nova de Milfontes e dos amigos que conquistou ao longo dos últimos nove anos, uma vez que irá partir numa nova aventura, “uma volta pela Europa, em bicicleta, durante cerca de três anos, antes de regressar à minha terra natal, em França”, informa.

 

São convidadas a participar todas as pessoas que pretendam melhorar a técnica de correr descalço ou correr com menos lesões ou, simplesmente, perceber melhor o seu corpo ou ainda todas as pessoas que procuram mais aventura, mais divertimento, maiores sensações e um estilo de vida mais saudável. Sylvain acrescenta “também todos os amigos que sabem desta minha paixão pela corrida descalça e que queiram partilhar comigo alguns metros ou mesmo quilómetros, sem proteção nos pés”.

 

As crianças também são bem-vindas. “Muitas vezes são as crianças quem tem menos preconceitos no que se refere ao pé descalço”, diz Sylvain, “A infância é o momento certo para aprender o seu corpo de maneira completa e natural. Give Your Youngsters Chance to go Barefoot! (Dê aos Jovens a Oportunidade de Andarem Descalços!)”

 

O evento é gratuito. Sylvain acrescenta que “correr é natural. Aprender a correr é de graça” e adverte que “este é um evento informal e cada um é responsável por si e pelos seus porque não há qualquer seguro previsto”.

 

Não se esqueça de levar roupa confortável, boné e água.

 

Boa correria!

 

 

 

 

 

PROGRAMA

 

1- Conversa (descalça) de 15 minutos.

- Porquê correr descalço?

- Os principais elementos de uma técnica eficiente e sem lesões

- Ideias, conceitos, dicas

- A questão delicada das sapatilhas “barefoot” ou “minimalista”

- Perguntas e respostas.

 

2 - Pequenos exercícios de iniciação para convidar a uma primeira tomada de consciência.

 

3 – Corrida lenta e pequena, para continuar a conversa, pelos trilhos arenosos do Parque Natural, até “à praia do Sylvain”.

 

 

 

Sylvain Griot

 

Durante três anos Sylvain correu com sapatilhas clássicas (amortecimento, drop, suporte, outras tecnologias). Regularmente tinha várias dores nas pernas, principalmente no joelho e no tornozelo. 1h42 foi o tempo realizado na meia-maratona mais rápida que conseguiu correr com sapatilhas, em 2013, com lesões, mais uma, vez no joelho. Começou, então, com os exercícios descalços. Aprendeu a corrigir e aperfeiçoar a sua técnica. Um ano mais tarde correu, sem dores nem lesões nas pernas, em 1h26 uma meia-maratona, ficando do 280º lugar entre 10 000 participantes. Nos quatro anos de prática descalça, já correu mais de 10 meia-maratonas, e, com sandálias, uma maratona e três “ultras”, sem nunca ter tido mais lesões. Hoje continua a aperfeiçoar a sua técnica com uma prática descalça regular.

 

Continua a precisar de proteção nos pisos mais difíceis. Não se considera um campeão ou um mestre mas, “por já ter aprendido alguma coisa” com as dicas dos mestres KB Saxton, Scott Jurek, Gordon Pirie, Lee Saxby e Eric Orton, considera-se apto a ajudar outras pessoas a correr melhor.

 

Para mais informação

veja aqui, ou aqui ou aqui ou aqui ou ainda aqui