FESTIVAIS

FMM – Festival Músicas do Mundo

Sines recebe a 20ª edição do festival de música com espírito de aventura

2018-07-19
São 39 países e regiões de todos os continentes que darão voz aos 59 concertos, de 19 a 28 de Julho, em Porto Covo e Sines

De 19 a 28 de Julho, o concelho de Sines recebe a 20ª edição do Festival Músicas do Mundo que, segundo a organização, “é o festival de música com espírito de aventura com o maior alinhamento de concertos de sempre”.

 

Os sons e vozes que se poderão ouvir nos primeiros quatro dias de música (19 a 22 de Julho) têm lugar no palco INATEL, sediado no Largo Marquês de Pombal, em Porto Covo, com uma programação totalmente gratuita.

 

Nos seis dias restantes, de 23 a 28 de Julho, os concertos transitam para o Centro Histórico de Sines, com concertos gratuitos no Largo Poeta Bocage, Avenida Vasco da Gama e durante a tarde no Castelo e pagos no auditório do Centro de Artes de Sines e no Castelo nos concertos da noite.

 

A programação pode ser consultada em http://fmmsines.pt/ mas a organização destaca alguns artistas por continente.

 

A viagem do FMM, nesta edição, inicia em Portugal. Do país anfitrião do festival, ouviremos fado protagonizado por Aldina Duarte, depois, Live Low, com experimentações electrónicas sobre música tradicional, Susana Travassos, uma voz com ligações à América do Sul e três representantes da Lisboa das miscigenações africanas: Fogo Fogo, Scurú Fitchadú (funaná com estética de punk-rock) e, em destaque, Sara Tavares que apresentará a sua nova fase de carreira, com o álbum “Fitxadu”.

 

Será também uma das edições mais ricas em música africana. Cruzando as fronteiras do Magrebe, chegam-nos do norte de África os AMMAR 808, DuOud, Sofiane Saidi & Mazalda, Yuma. Posteriormente, passaremos o Sahara com Imarhan, chegando ao Cairo (Egipto) com os artistas Maryam Saleh, Maurice Louca & Tamer Abu Ghazaleh’s Lekhfa.

 

Descendo para a África subsariana, contamos com um guitarrista de linhagem nobre, Vieu Farka Touré (Mali) e, num cruzamento de música africana e música cubana, as Maravilhas de Mali com a participação do convidado Mory Kanté. Guy One (Gana), Oliver Mtukudzi (Zimbabué) e Timbila Muzimba (Moçambique) e África na diáspora, com Gili Yalo e Alsarah & The Nubatones, estarão também presentes nesta edição.

 

Do Mediterrâneo Oriental, recebe a voz pop alternativa, Yasmine Hamdan (Líbano), TootArd (Israel) e duas expressões da música moderna, BaBa Zula, Derya Yildirim & Grup Simsek (Turquia) e Monsieur Doumani (Chipre). 

 

Voando para a América Latina, percorreremos a cena underground da Colômbia com Cero39, Leopardo e Meridian Brothers, passando à música popular genuína com Carmelo Torres y Su Cumbia Sabanera. C4 Trio (Venezuela) e o grupo histórico do reggae jamaicano, Inner Circle, passarão também pelo palco dos ritmos mundiais. 

 

Ainda no continente americano, BaianaSystem, Cordel do Fogo Encantado, Karina Buhr, Tulipa Ruiz (Brasil) e com músicos oriundos dos Estados Unidos da América, figuram os artistas com visão cosmopolita, baseados em Nova Iorque, Barbez e Moon Hooch e também artistas de música negra, Robert Finley e The Como Mamas. 

 

Voltando à Europa, entrando no Reino Unido, estão presentes os Sons of Kemet, The Correspondents e Yazz Ahmed, um artista que transporta a herança árabe para o jazz contemporâneo.

 

Na Europa continental, três países terão a oportunidade de mostrar a sua diversidade musical: Lajkó Félix e Meszecsinka (Hungria), Kroke e Sutari (Polónia) e Kimmo Pohjonen ‘Skin’, Pekko Kappi & K:H:H:L (Finlândia). Entre a Europa e a Ásia, escutaremos a música de Ethno-Trio Troitsa e Huun-Huur-Tu (Bielorrúsia e Rússia, respectivamente).

 

Estarão ainda presentes no FMM, projectos que cruzam estéticas e geografias, como é o exemplo do produtor alemão ao som de música senegalesa, Mark Enerstus’ Ndagga Rythm Force, uma fusão entre os ritmos de Cuba e Jamaica, Havana meets Kingston e uma colaboração entre músicos franceses com um cantor paquistanês, Markus & Shahzad. 

 

Reservado à música universalista, sem marcação geográfica, um parisiense com gosto pelas viagens (Chassol), Seward, um grupo de rock experimental de Barcelona, um trio franco-suíço (La Tène) e outro esloveno de música instrumental (Sirom) e, por fim, Opal Ocean, um duo de guitarra clássica que cruza flamenco e metal nas ruas de Melbourne, Austrália. 

 

Para além dos concertos, o FMM conta também com um programa de iniciativas paralelas. Haverá workshops de percussão (com o duo colombiano Alibombo), uma feira do livro e do disco (com a participação da livraria A das Artes, loja de discos VGM e ateliê de tipografia artesanal O Homem do Saco), espectáculos musicais para famílias e crianças (Milho por Peixe), ateliês infantis, narrações orais com o programa “Contos de Tantos Mundos”, apresentações com os tradutores Tiago Nabais e Hugo Maia e os escritores Rodrigo Guedes de Carvalho, João Lopes Aguiar e David Machado e representantes do jornal “Mapa”, visitas aos bastidores do festival no Castelo e aos locais do centro histórico de Sines. 

 

Durante o festival, estará também a decorrer a exposição “Manuel San-Payo – O Atelier Nómada”, no Centro de Artes de Sines e no Centro Cultural Emmerico Nunes, numa edição do projecto Verão Arte Contemporânea em Sines. 

 

No decorrer do festival, haverá espaço para a segunda edição do “ENTREMARÉS”, um programa de actividades de divulgação científica por investigadores do CIEMAR, Universidade de Évora e do MARE. Este ano, o programa inclui uma visita à lota de Sines, yoga, sessão sobre a biologia do percebe e ida à praia de São Torpes para conhecer a biologia da zona “entremarés” de um litoral rochoso.

 

Uma das novidades nesta edição do FMM é a alternativa ao parque de campismo, este ano inserido na zona nascente da cidade, de fácil acesso a pé entre os palcos existentes no Castelo e na Avenida Vasco da Gama. A área terá acesso a casas de banho, duches e vigilância, com abertura prevista a 18 de Julho. 

 

O FMM aliena-se a uma programação diversificada, em cenários históricos e urbanos, próximos de uma costa com uma paisagem protegida, guiada pelos seus princípios: erguer pontes entre culturas e promover a igualdade de circulação de artistas, dando a oportunidade ao público de dar a conhecer músicos com origem em geografias ou propostas estéticas que encontram menos espaço no circuito comercial da música ao vivo.

 

Organizado pela Câmara Municipal de Sines, desde 1999, o FMM recebeu, o ano passado, o EFFE Award, atribuído pela European Festivals Association, como sendo dos seis festivais europeus mais influentes na promoção de uma “diversidade real”, constituindo uma “celebração da arte, da vida e do espírito cosmopolita”.

 

Dário Loução (não usa AO)