ATLETISMO

Atletas de corpo e alma

Equipa de Atletismo da Casa do Povo de São Luís

2019-01-18
Luís Candeias é o treinador da Equipa de Atletismo da Casa do Povo de São Luís. Criou o grupo aos 18 anos e até ao momento conta com 30 atletas.

Luís Candeias é o treinador da Equipa de Atletismo da Casa do Povo de São Luís. Criou o grupo aos 18 anos e até ao momento conta com 30 atletas. Para este ano, o principal objetivo é alcançar títulos a nível nacional. 

 

Dentro e fora do concelho são conhecidos por terem uma ambição sem limites. Acima de tudo, têm vontade de aprender e de serem os primeiros a chegar ao pódio. Esta é a mesma motivação que Luís Candeias sentiu, quando decidiu criar a equipa de atletismo em 2016. Relembra que tudo começou com a participação nos eventos desportivos do Colégio de Nossa Senhora da Graça. Esteve presente em muitas competições distritais escolares, saindo na maior parte das vezes, como vencedor.

 

Mais tarde, integrou nas épocas de 2012/2013 a 2015/2016, o Núcleo Desportivo e Cultural de Odemira. Uma experiência que guarda com carinho e que contribuiu para que o “bichinho” pelo atletismo aumentasse. No entanto, entre 2015/2016, Luís Candeias fez transferência para o Clube Pedro Pessoa Escola de Atletismo, onde esteve uma temporada desportiva. 

 

O treinador considera que a aposta na formação é fundamental, tendo adquirido ainda, o Curso de Técnico de Grau I, integrado no Programa Nacional de Marcha e Corrida. Este decorreu no Centro de Alto Rendimento do Jamor.

 

Em jeito de brincadeira, afirma que esta habilidade vem de família, mas no fundo reconhece que não é qualquer jovem que se envolve no processo de criação de um projeto destes. Inicialmente, contou com o apoio da Casa do Povo de São Luís, que desde logo aceitou fazer parte. De seguida, juntaram-se alguns dos comércios locais e também a Junta de Freguesia de São Luís e a Câmara Municipal de Odemira. 

 

Apostou na divulgação através de cartazes e ainda foi ao encontro dos jovens para os convidar a fazer parte. Começou com um grupo de 10 e neste momento, estão 30 atletas federados, dos quais alguns são estrangeiros. Segundo Luís Candeias, podem participar desde “benjamins a veteranos”, ou seja, tanto crianças como adultos.

 

Apesar de afirmarem que é difícil treinar em São Luís, pelo campo ser de terra batida, há sempre a possibilidade de irem para a pista do Estádio Municipal de Odemira. Por norma, os treinos são programados conforme o calendário das provas e nunca começam sem o habitual aquecimento de 10 a 15 minutos, seguidos de exercícios de técnica e alongamentos. 

 

Nestes últimos dois anos, receberam o Prémio de Mérito, um reconhecimento do município pela dedicação, empenho e resultados obtidos nesta modalidade. Assim como, também foram congratulados pela Associação de Atletismo de Beja. 

 

Na sequência destes acontecimentos, estão os títulos conquistados no ano de 2017/2018, entre os quais, “Campeões Distritais de Corta Mato” (Escalão Juvenil), “Campeões Distritais de Pista” (Escalão Júnior) e ainda “Campeões Distritais de Absolutos em Pista”. Para além disso, também foram alcançados títulos individuais, nomeadamente, pelo Tomás Rafael, Daniela Casimiro, Tomé Candeias, Lucas Mato e Miguel Loução. 

 

De destacar, que o atleta Tomé Candeias está nos Rankings Nacionais Jovens, entre os melhores de Portugal. Tem 15 anos e estuda em Odemira. Integrou a equipa a partir do convite do treinador, tendo preferência pelas provas de resistência. Apesar de ter jogado futebol durante 5 anos, viu no atletismo mais oportunidades de alcançar vitórias. 

 

Este ano aproximam-se grandes desafios. Entre os principais estão o Campeonato Distrital de Beja, também conhecido por Campeonato do Alentejo e o Campeonato Nacional. Correr em corta-mato, na estrada, em pista coberta e inclusive competir em lançamentos longos são algumas das metas a cumprir.  

 

Francisco Casimiro tem 16 anos e está no Curso Profissional de “Empregado Bar e Mesa” em Odemira. Entrou quase no início e diz ter ficado a conhecer a equipa, através dos cartazes. Sempre gostou de fazer desporto, mas foi o atletismo que mais o motivou. Prefere fazer provas longas e reforça que desde que o pratica, muita coisa mudou, como por exemplo, a autodisciplina.  Por outro lado, Hélder Campos é o veterano da equipa e aos 41 anos de idade não abdica de ir aos treinos. Trabalha na carpintaria, mas agora tem se habituado a esta nova vida de atleta. Consigo, trouxe a filha, que o acompanha nesta aventura. 

 

De um modo geral, a equipa considera que a diferença desta modalidade para outras está no convívio antes e depois das provas, mesmo que exista rivalidade na hora de lutar pelo melhor resultado.

 

por Filipa Murta