FESTIVAIS

Vila de Frades recebe o primeiro concerto da 15ª edição do Terras sem Sombra

Aprender a fazer pão, coro feminino americano e peixes no elevador

2019-01-21
O País Convidado são os Estados Unidos e o concerto de abertura, dia 26 de Janeiro, às 21h30, é um dos mais destacados coros estado-unidenses, o Spelman College Glee Club

O País Convidado são os Estados Unidos e o concerto de abertura, dia 26 de Janeiro, às 21h30, é um dos mais destacados coros estado-unidenses, o Spelman College Glee Club

 

S. Martinho das Amoreiras irá acolher o Quartetazzo, dia 25 de maio, às 21H30 sob o tema Noutras Margens: Obras Americanas e Europeias para Flauta.

 

A temporada do Terras sem Sombra no Alentejo começa este fim de semana no concelho de Vidigueira, com um programa repartido entre as vertentes musical, patrimonial e de conservação da natureza: o concertoCaminhar pela Água: Vozes Femininas da Geórgia (na magnifica igreja de São Cucufate, matriz de Vila de Frades, famosa pelas condições acústicas); a visita dedicada à herança cultural imaterial, na sede do concelho; e a salvaguarda da biodiversidade, em Pedrógão.

 

Música e viagens têm feito parte do ADN do Terras sem Sombra ao longo das suas já quinze edições. Este ano, o festival ganha envergadura ibérica, com a realização de dois concertos na Extremadura espanhola, em Valência de Alcântara e Olivença.


Por outro lado, em 2019 assinalam-se os 550 anos do nascimento de Vasco da Gama, e, um pouco por todo o país, iniciam-se, as comemorações do V centenário da viagem de circum-navegação de Fernão de Magalhães e Juan Sebastián Elcano. Ambas as efemeridades dão o mote a um programa que privilegia a temática da viagem, nas suas várias dimensões, desde a viagem física, que percorre distintas geografias, à viagem interior, essencialmente contemplativa, e à viagem ao conhecimento, que abre as portas a experiências únicas.

 

O País Convidado do 15.º Terras sem Sombra são os Estados Unidos e o concerto de abertura traz a Vila de Frades, a 26 de Janeiro, às 21h30, um dos mais destacados coros estado-unidenses, o Spelman College Glee Club, de Atlanta, dirigido por Kevin Johnson. Fundado em 1883, este agrupamento especializou-se no repertório para vozes jovens, com destaque para os espirituais tradicionais e a música de compositores afro-americanos. 

 

Ao abrirem, em 1882, o Spelman College, que adquiriu logo grande prestígio, os seus fundadores aspiravam a muito mais do que abrir uma faculdade para jovens negras, no Sul, após a abolição da escravidão (1863). Queriam proporcionar-lhes uma experiência educativa tão completa quanto possível, pelo que a formação musical foi introduzida nos programas desde os seus primórdios. É este tesouro artístico que o Glee Club guarda e renova, anos após ano.

 

 

Conhecer o Ciclo do Pão: Teoria, Poesia e Prática

 

A tarde de sábado, 26, é dedicada, a partir das 15 horas, a uma interessante dimensão do património imaterial do Alentejo: o fabrico artesanal do pão, que está a ser alvo de um intenso trabalho para a sua certificação. 

 

No decurso da visita a cinco padarias ancoradas na história local, vamos conhecer os segredos das diferentes fases de preparação do nobre alimento, assim como a sua importância para a vida comunitária, o seu uso gastronómico e outras dimensões patrimoniais que lhe estão associadas e foram transmitidas de geração em geração. 

 

Vai haver oportunidade, assim, para conversar com as mulheres e os homens que lhes dão vida e, pondo literalmente a mão na massa, também parea fazer e cozer pão em fornos tradicionais.

 

 

Quando os Peixes tomam o Elevador: Explorar a Conectividade do Rio Guadiana

 

Domingo, dia 27, músicos, espectadores e membros da comunidade local partem às 9h30 na direcção do Guadiana, para uma acção consagrada à biodiversidade do grande rio do Sul. O objectivo principal é o dispositivo de passagem para peixes da barragem de Pedrógão, que minimiza o efeito barreira desta infra-estrutura, permitindo a conectividade entre o Guadiana e alguns afluentes. 

 

Esta visita, guiada por grandes conhecedores dos segredos do rio, permitirá observar as artes de pesca que ainda nele se praticam e apreciar as margens intocadas, nas imediações de um geoparque digno de especial atenção. Aqui, abundam as lendas de mouras encantadas e todas as elevações e grutas contam uma história. Não falta, sequer, um anfiteatro natural para o Spelman College Glee Club elevar as vozes ao céu. 

 

O Terras sem Sombra conta, em 2019, com 50 actividades, entre concertos, conferências, visitas guiadas ao património e acções práticas de salvaguarda da biodiversidade, em 13 concelhos do Alentejo e da Extremadura: Vidigueira, Serpa, Monsaraz, Valência de Alcântara, Olivença, Beja, Elvas, Cuba, Ferreira do Alentejo, Odemira, Barrancos, Santiago do Cacém e Sines.