CIÊNCIA

Oficina sobre os Rios Temporários em Sabóia

No Auditório do Agrupamento de Escolas no próximo sábado dia 22

2019-06-19
Como podemos todos, usando uma aplicação no telemóvel, contribuir para o seu melhor conhecimento e gestão

Oficina a ter lugar no próximo sábado dia 22,no Auditório do Agrupamento de Escolas de Sabóia, sobre os Rios Temporários (como o são, na sua grande maioria, os cursos de água no Concelho de Odemira) e como podemos todos, usando uma aplicação no telemóvel, contribuir para o seu melhor conhecimento e gestão.

 

Esta Oficina, com o título “Ciência e Cidadãos em ação para o conhecimento e valorização dos Rios Temporários”, conta com a presença da Profª Manuela Morais da Universidade de Évora, especialista nesta Temática.

 

 

RIOS TEMPORÁRIOS

 

“Em sentido lato, os rios temporários são definidos como aqueles que naturalmente secam, pelo menos durante uma parte do ano (ex. o verão nas regiões Mediterrânicas). Os rios temporários são aqueles que apresentam um período de algum tempo com inundação, o que permite a instalação dos principais grupos de insetos aquáticos.

 

(...) Em regiões mediterrânicas, a distribuição anual das precipitações determina que muitos rios desenvolvam descontinuidades espaciais e temporais no sistema de corrente. Após a interrupção do caudal superficial, formam-se pegos com água que desenvolvem rapidamente características biológicas dependentes das condições físicas registadas. Similarmente, as comunidades terrestres estão sujeitas ao ciclo hidrológico, onde as interações bióticas e abióticas atuam a diferentes escalas.

 

(...) Os sistemas de águas correntes, rios e ribeiras, ocorrem sob uma vasta gama de condições diferentes de vegetação, topografia e geologia, ligadas pelo efeito da precipitação e da evaporação que afeta as suas bacias de drenagem. Neste sentido é útil classificar os sistemas de águas correntes de acordo com a disponibilidade de água em termos de previsibilidade e permanência. Neste contexto, os rios podem ser classificados desde os sistemas menos previsíveis, menos permanentes, efémeros e episódicos até aos sistemas mais previsíveis, sazonais, permanentes ou perenes.

 

(...) Nas regiões Mediterrânicas a utilização de água para a agricultura e para a indústria são muito elevadas, prevendo-se uma aumento de 50% até 2025, o que conduz a um aumento dos rios temporários.

 

(...) Atualmente, tem-se assistido a um aumento significativo das áreas de clima árido e semiárido devido a processos de desertificação, alterações climáticas e desflorestação, estimando-se que 20% da população humana mundial viva nestas regiões.”

 

(Excertos de um artigo publicado por Maria Manuela Morais, Ana Pedro e Joana Rosado, “Rios temporários: do excesso à escassez”)