A LÍNGUA DOS NOSSOS AVÓS

O Borratem e o poço

A origem do nome anda confundida


Por:Fernando Almeida

2019-06-19
Há quem julgue que “Borratem” se pode relacionar de algum modo com o nosso verbo “borrar”

“Muyta ágoa há em Borratém” diz Gil Vicente no “Pranto de Maria Parda”. Este “Borratém” é o de Lisboa, o do poço, e o mais conhecido, mas há outro, na Alcainça Grande, na região saloia. Também esse “Borratém”, que hoje é nome de rua, nasceu da existência de um poço. No Aquilégio Medicinal (1726) diz-se a respeito do Poço Borratem de Lisboa: “Em Lisboa Ocidental, chegado às Casas do couto dos Marquezes de Cascaes, está o grande poço do Borratem, muy abundante de agoa, de que bebe a mayor parte da sua vizinhança…”

 

A origem do nome anda confundida. Desde logo pelos que ingenuamente julgam que este “Borratem” se pode relacionar de algum modo com o nosso verbo “borrar”, o que evidentemente não tem cabimento. Outros ainda, mais próximo daquela que penso ser a verdadeira origem da palavra, relacionam o “Borratem” com formas árabes ou hebraicas com o significado de “poço” (“b’r”, em hebraico), e com “figueira” (“t’nh”, também em hebraico). A ideia até parece assisada, porque perto do “Poço do Borratem” está a “Praça da Figueira”… Só que isso também não explica o outro “Borratem”, o de Alcainça. Por isso penso que a origem do topónimo está em “b’r tehôm” que significa precisamente “poço de manancial profundo”.

 

 

Fernando Almeida