Viva o Mercúrio! Um novo texto

Durante os três anos de existência, o mercúrio tornou-se numa espécie de fórum público onde se discutiram os temas mais variados. Na parte jornalística foram apresentados muitos dos projectos e/ou problemas existentes na região, e nós, os colaboradores, escrevemos sobre tudo e alguma coisa nos nossos artigos de opinião: desde a política aqui no concelho, no país, na Europa e no mundo, até a vida quotidiana e os nossos medos, responsabilidades e oportunidades, sobre a tragédia dos refugiados, os problemas ambientais e as alterações climáticas, a grande crise do sistema capitalista, etc., etc. Cada um tinha a sua opinião e podia publicar os seus pensamentos, sem restrições. Dali desenvolveu-se uma verdadeira discussão pública. Muitas vezes aconteceu ter sido abordada acerca dum artigo que tinha escrito, e nem sempre eram pessoas que conhecia bem. O mercúrio foi uma plataforma – ainda no estado embrionário – com o potencial de enriquecer a vida democrática.

Já senti pena por não ter escrito sobre pelo menos mais dois temas que para mim são muito importantes e que têm a ver com Milfontes, sítio onde vivo:

a falta dum “Centro Cultural”, quer dizer, um espaço público em que todos os grupos com actividades culturais no sentido mais lato pudessem reunir, ensaiar, expor e representar, onde haja uma biblioteca e também um café para os encontros informais. Quase todos os outros sítios no concelho têm os seus “Centros”, só Milfontes é que não embora tenhamos o maravilhoso castelo a nossa espera (?)…

– a situação pouco agradável para os peões. Quem anda muito a pé e gosta de fazê-lo enfrenta muitos obstáculos mal saia do centro histórico ou da avenida marginal. Os passeios estreitíssimos, ainda por cima ocupados pelos postes e os milhares de sinais verticais, não dão espaço nem a carrinhos de bebé, nem a carrinhos de compra, nem a cadeiras de roda. E duas pessoas que querem passear lado a lado? Nem pensar.

Mas agora estamos na época natalícia, é melhor olhar para o que é bom:
– Todos os dias vejo o rio e o mar e sinto-me privilegiada por viver num sítio tão bonito.
– O movimento cívico contra “o furo” teve sucesso – por enquanto – e o Mercúrio fez parte do movimento, dando espaço e voz às pessoas envolvidas.
– A Feira de Natal com o seu programa musical foi muito agradável.

Feliz Natal a todos, viva o espírito do mercúrio!

Deixe uma resposta