Novo Verde alerta para novas regras de colocação de resíduos domésticos Medidas de proteção dos colaboradores dos sistemas de recolha e tratamento de resíduos

fotografia: Michael Amadeus

Como medida de contenção da propagação do COVID-19 e proteção dos colaboradores dos sistemas de recolha e tratamento de resíduos, a entidade gestora de resíduos de embalagens apela que sejam seguidas as indicações da Direção Geral de Saúde.

Perante a evolução do COVID-19 em Portugal e no mundo, a Novo Verde, entidade gestora de resíduos de embalagens, alerta a população para as novas regras de colocação de resíduos domésticos, visando a proteção de todos os habitantes em Portugal, bem como dos profissionais dos sistemas de recolha e tratamento de resíduos.

Alinhada com a informação divulgada pela Direção Geral de Saúde, a Novo Verde alerta que todos os resíduos domésticos relacionados com a proteção do coronavírus, destacadamente máscaras, luvas, lenços ou equiparados, devem ser depositados no contentor de lixo indiferenciado e nunca separados para reciclagem ou colocados nos ecopontos.

Para casos de suspeita ou confirmação de infeção por COVID-19, a Novo Verde alerta ainda que o manuseamento destes resíduos deverão ser alvo de especial atenção, sendo sugerido que todos os resíduos produzidos pela pessoa em quarentena ou isolamento sejam colocados exclusivamente num caixote de lixo de abertura não manual.

O saco deve ser cheio até 2/3 da sua capacidade e os resíduos não devem ser calcados, nem pressionados para o ar sair. Este saco, bem fechado, deve ser colocado dentro de um segundo saco de plástico, igualmente bem fechado com 2 nós bem apertados e, preferencialmente, com um atilho ou adesivo. Estas e outras boas práticas de proteção poderão ser seguidas em covid19.min-saude.pt

Sobre a Novo Verde

A Novo Verde é uma sociedade gestora de resíduos, responsável pela recolha, valorização e/ou reciclagem de embalagens e resíduos de embalagens. A Licença para exercer a sua atividade data de 25 de novembro de 2016 e foi atribuída pelos Gabinetes dos Secretários de Estado Adjunto e do Comércio e do Ambiente, através do Despacho nº 14202-D/2016. Com base na experiência consolidada em matéria de gestão de resíduos em Portugal e outros países, a Novo Verde amplia a oferta de serviços neste setor, promovendo a integração e envolvimento dos diferentes intervenientes, num sistema simples e transparente.

A entidade introduziu o fator concorrência no mercado nacional de gestão de resíduos de embalagens, com vista à implementação de alternativas e métodos de trabalho eficazes para todos os agentes que fazem parte do sistema integrado da Novo Verde, nomeadamente: embaladores/importadores, fabricantes de embalagens e materiais de embalagem, distribuidores, operadores, sistemas de gestão de resíduos urbanos e consumidores. Os objetivos nacionais de valorização e reciclagem de resíduos de embalagens correspondem ao previsto para 2011 no Decreto-Lei n.º 366-A/97, de 20 de dezembro, na sua redação atual, no PERSU 2020 e no Despacho n.º 7111/2015, de 29 de junho. A Novo Verde assume o compromisso de cumprir os objetivos de gestão dos resíduos de embalagens decorrentes de embalagens colocadas no território nacional, tendo como referencial a proporção equivalente ao peso das embalagens que lhe são declaradas.

Sobre o Autor

Em 2015, mercúrio nascia em Odemira como jornal mensal em papel; libertando-se para uma existência apenas digital, com uma presença online renovada e dinâmica, quatro anos depois, corria o mês de Outubro.

Deixe uma resposta